Antes de mais, devemos esclarecer qual a diferença entre hCG e HgH. Tenho notado que existe uma confusão generalizada no que concerne a esses dois hormônios.

De fato, os nomes são bem parecidos, mas eles não são a mesma coisa, embora os resultados de ambos sejam surpreendentes.

O hCG é responsável por reduzir a gordura depositada, o que faz com que, de forma indireta, melhore as condições para que o organismo produza HgH. Por isso, um melhora o resultado do outro!

Como funciona o hCG para hipertrofia muscular?

Diferença Entre HCG E HgH

FOTO REGISTRO: PEXELS

 

O hCG é um hormônio exclusivamente feminino, ou seja, não se encontra naturalmente no corpo do homem.

Por essa mesma razão, o corpo, quando recebe uma dosagem de hCG, interpreta como se ele fosse o hormônio Luteinizante.

Como sabe, o LH estimula a produção de testosterona, sendo que é a testosterona que faz com que haja uma maior hipertrofia muscular.

Claro que a produção desse hormônio volta ao normal depois de um período de toma de esteroides, mas o fato de conter no seu organismo hCG, todo o processo é acelerado.

Note que, sem testosterona, o seu corpo não irá ver a sua massa magra aumentar.

De fato, é o hormônio feminino que se destaca como um dos grandes vilões para quem almeja a hipertrofia muscular. Obviamente não estamos falando do hormônio hCG, mas sim de estrogênio.

Ora, o que o hCG faz é adicionar testosterona natural, juntamente com os esteroides, e dessa forma as pessoas conseguem aumentar os ganhos de força, assim como aumentam o volume dos músculos.

Para você ter uma ideia do poder do hormônio hCG para a hipertrofia muscular, ele pode chegar a aumentar em até 500% a produção de testosterona.

Ora, estamos falando em valores que ninguém conseguiria de outra forma, mesmo tomando esteroides, certo?

Como usar hCG para hipertrofia muscular?

 

O uso prolongado de hCG pode trazer sérios riscos para a sua saúde, sendo que pode mesmo fechar a produção de testosterona de forma definitiva.

Por isso, independentemente se o uso de hCG é para perder peso, ou para ganhar massa magra, nunca deverá ultrapassar os 40 dias de toma consecutiva.

No caso de se usar o hCG com o objetivo de ganhar massa magra, é aconselhado o uso de três injeções intramusculares semanalmente, e não mais do que 3 semanas consecutivas.

Neste caso estaríamos falando de cerca de 6 mil a 10 mil UI de hCG por semana.

Pode também usar injeções subcutâneas. Esse método traz resultados muito mais rápidos, e de fato surpreendentes. No entanto, estamos falando de injeções de 50 a 75 UI de hCG a cada 2 horas, ou 3 horas, diariamente, por um período de 2 a 3 semanas.

É de realçar que o uso de hCG deve ser sempre acompanhado por profissionais que sejam da área da saúde.

Recorde que se tratam de medicamentos, e devem ser tratados como tal.

Da mesma forma que o hCG, também os esteroides devem ser administrados sempre com vigilância médica, ou de um especialista que saiba exatamente como funciona, quais as dosagens, pausas, e efeitos secundários e colaterais.

Eric Portratz – uso de hCG para hipertrofia muscular

Diferença Entre HCG E HgH

FOTO REGISTRO: PEXELS

Eric M. Portratz, mais conhecido com Dr. Potratz, tem feito um trabalho exímio no campo da endocrinologia, assim como no melhoramento da performance de vários atletas e fisiculturistas.

Depois de vários anos de estudo sobre esses campos, e depois de centenas de atletas se terem consultado com ele, decidiu fundar o Primordial Performance, de quem é o Presidente.

Este especialista em alta performance de fisiculturistas e atletas fala do problema que o nosso corpo enfrenta quando paramos um ciclo de toma de esteroide.

De acordo com Protratz, há um necessidade enorme de fazer terapia pós –ciclo de esteroides. No entanto, essa terapia tem de ser feita de forma correta, o que não se tem verificado.

De fato, vemos que existe um mau uso do hCG, e é por isso que muitas pessoas não estão conseguindo obter os resultados desejados no que concerne à hipertrofia muscular.

Como afirma o presidente e fundador da Primordial Performance, o hCG é um hormônio que imita a ação do LH (hormônio luteinizante), o qual é responsável por estimular os testículos a aumentar a produção de testosterona.

Ainda de acordo com a explicação do estudioso dos efeitos do hCG para a hipertrofia muscular, o hormônio luteinizante é o primeiro sinal enviado através da glândula pituitária, situada na hipófise, até aos testículos, para que as células de Leydig, que se situam no interior dos testículos, produzam testosterona.

De acordo com Portratz, quando os atletas e fisiculturistas usam esteroides, o corpo vê uma redução rápida e abrupta do LH. Quando deixa de haver sinal de LH na hipófise, faz com que o corpo deixe de produzir testosterona, não havendo, desta forma, aumento de massa muscular.

Isso porque começa a haver uma degeneração testicular, reduzindo-se o volume das células de Leydig. O processo é rápido, e cedo se depara com uma redução da testosterona intra-testicular, assim como peroxisomos, e insulina de fator 3 (INSL3).

Para quem não entende muito bem o funcionamento do aparelho reprodutor masculino, todos estes indicadores que eu referi são de extrema importância para que os testículos funcionem de forma correta, assim como são de importância elevada para a produção de testosterona.

E é precisamente aqui que entra o famoso hormônio hCG, que veio dar uma nova vida para a hipertrofia muscular.

O hCG evita que a degeneração dos testículos aconteça. Para isso, deve ser aplicada uma pequena dose de manutenção durante o ciclo de esteroides.

O que acontece é que a maior parte das pessoas que usam esteroides acredita que o hCG deve ser usado somente durante a TPC (terapia pós-ciclo).

Portratz, especialista em endocrinologia, aconselha os seus clientes a administrar hCG durante o ciclo, pois assim consegue ter uma recuperação mais rápida e mais completa.

Outro dos grandes erros dos usuários de hCG para hipertrofia muscular está na dosagem usada. Muitos dizem usar entre 2500 e 5000 iu, cerca de duas vezes por semana.

No entanto, e alertado pelo especialista, essas dosagens foram usadas no início, durante a década de 60, como tratamento para o hipogonodismo, assim como para o tratamento de homens que apresentavam sensibilidade reduzida nos testículos por terem uma deficiência do hormônio luteinizante prolongada.

Dessa forma, para que a estimulação dos testículos fosse feita, a dosagem requerida era muito elevada.

Ou seja, quando os homens têm valores normais de LH, assim como a sensibilidade testicular normal, basta apenas uma dose de 250iu de hCG para conseguirem aumentos máximos de testosterona.

O que é afirmado pelo especialista, é que os testículos secretam, no máximo, cerca de 140% de testosterona, acima do que o normal.

Por isso, se não houver nenhum problema, essa será a dosagem máxima a usar.

Só em casos em que os testículos ficam desensibilizados, durante o uso de esteroides, é que se usam doses mais elevadas, para que se consiga reverter o quadro de desensibilização.

Note que nunca deve ultrapassar as 8 semanas de uso de esteroides, correndo o risco de nunca mais conseguir reverter o quadro de desensibilização testicular.

Note ainda que, quando falamos em sensibilização testicular, estamos falando na capacidade que este tem de produzir testosterona, e não com o uso habitual da palavra. Ou seja, um testículo desensibilizado sente da mesma forma, mas não produz testosterona.

Numa linguagem mais apropriada, a desensibilização dos testículos diz respeito à quantidade de testosterona produzida pelos testículos para um determinado nível de LH.

Quando usamos hCG, dá-se essa estimulação de produção de testosterona, e por isso podemos dizer que ele sensibiliza o testículo.

Portanto, quando devemos usar hCG?

Diferença Entre HCG E HgH

FOTO REGISTRO: PEXELS

Sempre que a sua capacidade de secretar testosterona for reduzida, o uso de hCG irá fazer com que o seu corpo produza mais LH, e consequentemente, mais testosterona.

No entanto, se for demasiadamente reduzida, nem o hCG poderá ativar esse gatilho. Ou seja, essa produção de testosterona insuficiente será permanente.

Note que esse problema decorre do uso prolongado de esteroides. Por isso é sempre aconselhado a consulta de um especialista quando começa a fazer medicação para aumento de massa muscular.

Veja o seguinte: num ciclo comum de esteroides, os níveis de LH diminuem logo a partir do segundo dia, e de forma rápida e abrupta.

Ora, assim que se fecha o sinal de LH, os seus testículos ficarão inativos por cerca de 12 a 16 semanas, o que faz com que a concentração de células de Leydig desça cerca de 90%.

Assim como as células de Leydig, também o ITT decresce 94%, e a insulina de fator 3 diminui 95%.

Mais preocupante, a capacidade que o seu corpo tem de produzir testosterona decresce 98%!

Esteroides e produção de testosterona reduzida

Os esteroides fazem com que haja uma redução acentuada de testosterona, e vários os estudos têm confirmado essa mesma afirmação.

De fato, estudos que seguiram atletas de força que usavam esteroides durante 16 semanas levaram à mesma conclusão.

A esses atletas foi administrada uma dose de 4500 iu de hCG na TPC (Terapia pós-ciclo).

De acordo com esse mesmo estudo, os usuários de esteroides ficavam menos responsivos ao hCG, cerca de 20 vezes menos do que aqueles que não usavam esteroides.

Ou seja, estamos capazes de afirmar, com toda a certeza, que o uso de esteroides por 16 semanas afeta drasticamente a produção de testosterona, até porque não recebem qualquer sinal do LH durante esse período.

A gravidade é enorme. Enganam-se os que pensam que tudo volta ao normal! Em vários casos, foram administradas dosagens de até 10 mil iu de hCG, de 3 em 3 dias, ao longo de 12 semanas, o que já é considerado um tratamento agressivo, e mesmo assim os testículos não voltaram ao seu tamanho normal.

Dessa forma, torna-se imprescindível que se tomem medidas preventivas, de forma a que não haja um comprometimento testicular, e continue vendo a sua massa muscular aumentar.

Como aumentar a massa muscular de forma efetiva?

Ora, tendo em conta tudo o que dissemos anteriormente, é aconselhada a toma de esteroides, assim como 100 iu de hCG diariamente, de forma a conseguir preservar a função dos testículos, assim como os níveis de ITT.

Note que esta dosagem é extremamente baixa, e o objetivo é prevenir que haja uma desensibilização testicular. Por isso, é altamente recomendável que a introdução do hormônio hCG seja feito antes da sensibilidade testicular ser reduzida.

Assim que iniciar a sua terapia pós-treino, é aconselhada a paragem de toma de hCG. Isso porque, dessa forma, as células de Leydig irão possibilitar uma re-sensibilização para a produção do LH.

De acordo com vários estudos, incluindo do endocrinologista Protratz, a dosagem ótima de hCG durante um ciclo de esteroides é de 250iu de hCG de quatro em quatro dias.

Poderá usar também, embora menos aconselhada, uma dosagem de 500iu de hCG por semana.

Note que o hCG vive no seu corpo por cerca de 3 a 4 dias, ao contrário do LH, que apenas vive por 1 a 2 horas.

Por essa mesma razão, é aconselhado que de deixe espaçar, no mínimo, 4 dias entre cada dosagem de hCG.

No entanto não é aconselhado ficar mais de 7 dias sem dosagem de hCG, podendo promover o aumento da desensibilização testicular. Isto porque há uma falta de LH, que o hCG promove.

No caso de estar iniciando com o hCG numa etapa tardia do seu ciclo de esteroides, então faça os seguintes cálculos para saber qual a dosagem apropriada para você começar.

40iu X dias sem LH

Independentemente do resultado que essa multiplicação lhe der, lembre-se que a dosagem máxima de hCG nunca deve ultrapassar os 5 mil iu. Não se esqueça, também, que o prazo entre cada injeção deverá ser SEMPRE entre 4 a 7 dias.

Não há dúvidas que o aumento de massa muscular é muito superior quando se usa hCG!

Existem vários usuários que relatam terem melhores resultados, assim como experienciaram uma recuperação mais rápida quando usaram hCG durante a toma de esteroides.

Ora, cientificamente, podemos ver que o nível endógeno de testosterona é maior, e por isso se dá um aumento de massa muscular muito maior.

Também podemos verificar que com hCG há um estímulo contínuo dos testículos, evitando que eles atrofiem, e por isso a recuperação depois dos ciclos de EEAs é mais rápido.

Note que o hCG, com intuito de ganhar massa muscular, é apenas usada por homens, e não por mulheres, pois não teria o efeito desejado.

hCG para ganho de massa muscular – Passo a Passo

 

Nós sabemos que é bastante intimidante entrar na academia com um peito bem pequeno, e uns braços tão finos que mais parecem um palito de dente. Por isso o hCG pode ser um bom aliado para você!

Vamos combinar o hCG com um treino de força intensivo, que vai ajudá-lo a ganhar massa muscular muito mais rápido do que se não estivesse usando esse hormônio.

PASSO 1

Antes de qualquer coisa deve consultar o seu médico, dizer que irá começar um ciclo de hCG, e depois deve falar com o seu personal trainer antes de iniciar o seu protocolo hCG.

Não se esqueça de esclarecer com o seu médico sobre eventuais efeitos colaterais que estejam associados ao uso de hCG.

Pergunte também se você está liberado para tomá-lo, e se as suas condições de saúde não sairão prejudicadas.

Normalmente não há problema algum em tomar, então se for saudável está totalmente liberado.

No entanto, em algumas circunstâncias específicas, poderá ser prejudicial.

PASSO 2

Depois de estar esclarecido, peça ao seu médico uma prescrição para as injeções de hCG, ou então a versão em comprimidos sublinguais.

Sempre tome o hCG de acordo com as prescrições médicas. Eles é que sabem quais as dosagens apropriadas para seu caso. Não tente aumentar a dosagem que o seu médico prescreveu.

Se ele lhe passou uma prescrição com determinada dosagem, então ele sabe o porquê.

Não se esqueça que o hCG é um hormônio, e como tal, deve ser usado com precaução.

PASSO 3

Juntamente com a toma do hormônio de hCG, siga a dieta restritiva que deve basear-se em duas refeições diárias apenas, com um complexo de carboidratos e proteínas. Feijões verdes e tilápia grelhada são boas opções. (diferente da dieta hCG para emagrecimento a dieta para ganho de massa muscular contém outros alimentos)

Não se esqueça de se aconselhar com o seu personal e nutricionistas. Ninguém melhor do que eles para indicar-lhe ótimas refeições para aliar ao hCG.

PASSO 4

Deve incluir pesos nos seus treinos entre três a quatro dias por semana. Poderá também incluir exercícios de resistência.

É uma boa incluir um composto de vários exercícios que trabalhem vários grupos musculares ao mesmo tempo.

Dessa forma, você irá conseguir ter resultados muito mais rápido, e em vários sítios do seu corpo.

PASSO 5

Ao longo do seu programa hCG não se esqueça de consultar o seu médico de forma regular.

É importante que ele siga todos os passos, e veja como o seu corpo está se adaptando ao hormônio.

Institutos Nacionais de Saúde falam sobre hCG e EAA

Estes institutos têm alertado para os efeitos desta combinação para o corpo humano. De fato, eles apontam para o fato de que os esteroides anabólicos androgênicos (EAA) são criados sinteticamente, sendo constituídos por variantes da testosterona, o famoso hormônio masculino.

Quando estes são associados ao hCG, com o objetivo de ganhar massa muscular, vários efeitos colaterais são relatados.

Um dos mais graves problemas está relacionado com o uso prolongado destes hormônios.

Se você sabe um pouco sobre a dieta hCG, então você sabe que não é aconselhado o uso de hCG por mais de 40 dias consecutivos, sendo que se deve fazer uma pausa de seis semanas até que se possa iniciar um novo ciclo de hCG (no caso de ainda ter peso para perder).

Algumas pessoas têm usado o hCG com os EAAs de forma consecutiva, sem fazer pausas, até porque ainda não têm o corpo com que sempre sonharam.

Nesses casos, como relata a NDARC, e em casos de doses extremamente elevadas de hCG, é visível uma inibição da produção de LH (hormônio luteinizante). São relatados casos, igualmente, de pessoas que veem os seus testículos ficarem insensíveis.

A NDARC alerta, também, para o risco de os homens desenvolverem ginecomastia. A ginecomastia resulta num aumento anormal das mamas nas pessoas do sexo masculino, isso porque o hCG estimula a conversão da testosterona em estrogênio.

Por isso, no caso de querer usar o hCG para aumentar a sua massa muscular, é aconselhada a combinação da sua toma com um bloqueador de estrogênio.

Os vários Institutos Nacionais de Saúde têm apontado também para a hipótese dos homens que tomam hCG poderem vir a sofrer de hipertrofia da próstata, ou seja, aumento deste órgão. No entanto não há motivos para alarme. Não se trata de qualquer tumor maligno, nem aumenta o risco de contrair, ou desenvolver, câncer da próstata.

Veja Também:

Frases De Objetivo Para Emagrecer – Qual A Sua Meta?

Boa Forma Com Dieta HCG Em Apenas 40 Dias!

Conclusão 

O hcg é um hormônio fantástico, e realmente os resultados de quem o uso são surpreendentes. Quer seja para perda de peso, quer seja para ganho de massa muscular, ou até mesmo para o tratamento de infertilidade, o hCG tem demonstrado que poderá ser uma arma bastante certeira!

Muitos estudos estão sendo realizados neste momento, até porque ainda muito há a descobrir sobre este hormônio milagroso.

Quem sabe o hCG ainda poderá trazer ainda mais surpresas?

Quanto à hipertrofia muscular, o hCG pode ser, sem dúvida, bastante útil, principalmente para aqueles que desejam resultados rápidos, assim como prevenir a falha de produção de testosterona provocado pelos esteroides.

Para saber mais sobre este hormônio para perda de peso, aconselho o nosso e-book sobre o assunto. Nele poderá descobrir ainda mais coisas surpreendentes!

Sem dúvida, um grande aliado para o fitness e musculação, assim como para a nossa saúde e bem-estar!

Qual a diferença entre hCG e HgH?
5 (100%) 1 vote

Nenhum comentário para "Qual a diferença entre hCG e HgH?"

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    WhatsApp chat